Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 19 de maio de 2018

Brasil: PIB de Março caiu 0,74%! Piora do cenário econômico global torna inevitável uma nova Recessão em 2018! No aspecto econômico, o Golpe fracassou totalmente! - Marcos Doniseti!

Brasil: PIB de Março caiu 0,74%! Piora do cenário econômico global torna inevitável uma nova Recessão em 2018! No aspecto econômico, o Golpe fracassou totalmente! - Marcos Doniseti!
Resumindo o Brasil do governo golpista e ilegítimo de Temer: Combustíveis ficaram tão caros que estão sendo vendidos a prazo, em 6 vezes sem juros. 

1) A piora do cenário econômico global e a quebra da Argentina já levaram a cotação do Dólar para R$ 3,74 nesta semana, sendo que nas casas de câmbio, que operam com o câmbio turismo, a cotação da moeda dos EUA já chega a R$ 4,14 (no cartão pré-pago). 


Assim, a classe média que pediu pelo 'Fora Dilma' pode dar adeus aos produtos importados e para as viagens à Disney;

Desta maneira, o BC terá que subir a taxa Selic em breve, talvez bem antes da próxima reunião do Copom, para impedir que comece um grande fuga de dólares do país, tal como aconteceu com a Argentina. 

As taxas de juros futuros já chegaram a 6,7% nesta semana. Isso significa que teremos um aumento de, no mínimo, 0,5 p.p. na taxa Selic em breve, elevando a mesma para 7% ao ano.

E o PIB brasileiro teve uma queda de 0,74% em Março, antes do cenário internacional piorar;

2) Depois que o governo de Mauricio Macri subiu os juros para 40% ao ano, os especuladores estrangeiros deverão promover um ataque especulativo contra o Brasil (se é o mesmo já não começou), retirando muitos dólares do país para forçar uma forte elevação da taxa Selic, com o objetivo de aumentar os seus lucros no país; 

3) Para tentar conter esse ataque especulativo, o Banco Central terá que disponibilizar os recursos das reservas internacionais (de US$ 380 Bilhões), que são a única coisa que impede que o Brasil afunde totalmente numa gravíssima crise.
Com o agravamento da crise internacional, o Brasil deverá mergulhar em uma nova Recessão, tornando praticamente inevitável a vitória de Lula ou de algum (a) candidato (a) apoiado (a) por ele na próxima eleição presidencial. 

É bom lembrar que tais reservas foram acumuladas pelos governos Lula e Dilma e que a política de acumular reservas internacionais foi violentamente atacada pela oposição (que agora governa o país de maneira totalmente ilegítima) quando o Presidente Lula decidiu que isso deveria ser feito;


4) Somando tudo isso com uma contínua piora do cenário internacional (devido ao aumento dos juros pelo FED, guerra comercial entre EUA e o resto do mundo) e um agravamento da crise da Argentina (país que quebrou pela terceira vez durante um governo que adotou políticas Neoliberais), então é muito provável  que teremos um aumento ainda maior da taxa Selic, bem acima dos 0,5 p.p. apontados pelas taxas do mercado futuro desta semana; 

5) O preço do barril de petróleo chegou a quase US$ 80 nesta semana, o que significa que teremos combustíveis mais caros devido à política de preços adotada pelo governo Temer, que reajusta os preços dos combustíveis no mercado interno sempre que o barril de petróleo fica mais caro no exterior, política essa que beneficia apenas aos acionistas da empresa e que empobrece o povo brasileiro;

6) Somem tudo isso e o resultado é uma nova Recessão, no Brasil, ainda neste ano. 
Aliás, tal Recessão já está devidamente contratada, como ficou comprovado com a queda de 0,74% do PIB brasileiro de Março. E olhem que essa queda foi anterior à piora do cenário global e à quebra da economia argentina. Então, imaginem o que vem por aí;

Governo de Trump adotou medidas protecionistas, iniciando uma Guerra Comercial contra o mundo todo (China, em especial), tal como havia prometido em sua campanha eleitoral. A crise da Globalização Neoliberal entra em uma nova etapa.

7) O governo Temer está totalmente despreparado para combater essa nova Recessão, por vários motivos:


A) Desmontou as estatais, que poderiam ser usadas (principalmente a Petrobras) para aumentar os investimentos produtivos, que levariam ao início de uma retomada (Lula fez isso em 2008/2009);

B) Desmontou os programas sociais, que poderiam ser usados para aumentar o consumo interno e segurar a atividade econômica. Lula também fez isso em 2008/2009;

C) Enfraqueceu muito os Bancos públicos (BB, CEF, BNDES), que não poderão ser usados para aumentar a oferta de crédito na economia e nem para fortalecer os programas sociais;

D) Arrochou os salários dos trabalhadores, reajustando o Salário Mínimo abaixo da inflação, o que colabora ainda mais para a redução do consumo e da produção, agravando a Recessão;

E) Governo Temer aumentou fortemente a Dívida Pública Líquida, que passou de 39,2% do PIB (Maio/2016) para 52,3% do PIB (Março de 2018). Logo, há pouca margem de manobra para aumentar os gastos públicos a fim de se estimular a economia;

8) Resumindo: No aspecto econômico, o Golpe fracassou totalmente, o que levará, inevitavelmente à vitória de um candidato de oposição - que será Lula ou um (a) candidato (a) apoiado (a) por ele - na eleição presidencial, caso ela venha, mesmo, a se realizar;
IBGE: Subutilização da força de trabalho atingiu um novo recorde e afeta 27,7 milhões de trabalhadores no Brasil. Ofertas de vagas limitam-se a empregos de, no máximo, 2 salários mínimos. 

9) Neste cenário econômico cada vez mais grave, que resultará em uma nova Recessão e no aprofundamento do ciclo de empobrecimento do país e do seu povo que foi iniciado pelo Golpe de 2015/2016, a única maneira dos Golpistas continuarem governando o Brasil será por meio de um novo Golpe de Estado (um Golpe dentro do Golpe), o que poderá implicar em várias medidas extremamente arbitrárias e inconstitucionais por parte deste novo governo, que será muito mais repressivo e violento do que o governo Temer.


Este novo Golpe poderia ser de dois tipos:

A) Golpe Militar, que fecharia de uma vez o sistema político, com um novo Governo Golpista (comandado pelas Forças Armadas) tomando medidas por Decretos-Lei, adiando a realização das eleições (que ficariam para o Dia de São Nunca), promovendo o fechamento do Congresso Nacional e dos partidos políticos, promovendo a prisão, tortura e morte de milhares de oposicionistas, entre outras atitudes do mesmo calibre;

B) Golpe Institucional, que adotaria as mesmas medidas do Golpe Militar. A única diferença em relação ao Golpe Militar é que tudo isso seria feito por lideranças civis, dos principais partidos que participaram do Golpe de 2015/2016.

Tais Golpes contariam com o apoio das principais instituições e classes sociais do pais (bem como com o total respaldo do governo Trump), que são inteiramente controladas pelo Grande Capital Financeiro Globalizado: Congresso Nacional, STF, PF, MPF, Grande Mídia, Agronegócio, Fiesp e Sistema Financeiro. 

Nada de bom poderá vir daí. 

E caso um destes Golpes aconteça, o resultado poderá vir a ser a fragmentação do Brasil, levando ao surgimento de vários países menores e mais fracos. 
Beppe Grillo (à esquerda), líder do M5S (Movimento 5 Estrelas), que formará o novo governo italiano junto com a Liga. Assim, a Itália terá um novo governo que adotará políticas anti-austeridade, anti-UE, anti-imigrantes e anti-política tradicional. Bacana, né? É a crise da Globalização Neoliberal em plena ebulição. E o Golpe de 2016 jogou o Brasil nos braços do Capital Financeiro Globalizado, o que aumentou fortemente a dependência do país em relação à economia global que, agora, entrou em uma nova etapa da sua crise, que começou em 2007/2009.

Links:


Cenário econômico internacional piora, dólar se valoriza e impede BC de reduzir a Selic:

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/05/16/economia/1526506964_639855.html

BC: PIB de Março teve queda de 0,74%:

http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/7422624/previa-pib-registra-retracao-marco-fica-abaixo-esperado-pelo-mercado

EUA iniciam guerra comercial contra China, que irá retaliar:

https://g1.globo.com/economia/noticia/china-respondera-a-tarifas-dos-eua-e-resistira-ao-protecionismo-diz-enviado-de-pequim-a-omc.ghtml

China aumenta tarifas de importação sobre produtos dos EUA:

http://br.rfi.fr/mundo/20180402-em-represalia-protecionismo-americano-china-sobe-tarifas-para-produtos-dos-eua

Preço do barril de Petróleo chega perto dos US$ 80:

https://br.investing.com/commodities/brent-oil-historical-data

No governo Temer, a gasolina ficou tão cara que postos já parcelam a venda em 6 vezes no cartão:

https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/05/16/preco-gasolina-posto-combustivel-petrobras-consumidor-bomba.htm

IBGE: Subutilização da força de trabalho bate recorde no governo Temer e 27,7 milhões de trabalhadores estão desempregados ou em situação precária:

https://www.sul21.com.br/ultimas-noticias/geral/2018/05/subutilizacao-da-forca-de-trabalho-atinge-nivel-recorde-no-brasil-277-milhoes-de-pessoas/

Próximo governo brasileiro irá herdar cenário econômico ruim (herança maldita de Temer):

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/05/14/opinion/1526307697_426152.html?rel=str_articulo#1526693616413

Dólar Turismo fecha em R$ 4,14 no cartão pré-pago:

https://oglobo.globo.com/economia/no-cartao-pre-pago-dolar-turismo-atinge-414-22695606

Itália passa a ter governo anti-UE, anti-imigrantes e anti-austeridade:

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/05/18/internacional/1526668040_387312.html

sábado, 12 de maio de 2018

O governo Geisel e a soberania nacional por meio de um desenvolvimento econômico independente! - Marcos Doniseti!

O governo Geisel e a soberania nacional por meio de um desenvolvimento econômico independente! - Marcos Doniseti! 
Livro com mais de 30 horas de entrevistas com o ex-Presidente Ernesto Geisel. 
O governo Geisel foi o mais nacional-desenvolvimentista da época da Ditadura Militar. 

De certa maneira, ele continuou e aprofundou um projeto de desenvolvimento industrial, econômico e tecnológico soberano que havia sido iniciado e levado adiante pelos governos de Vargas, JK e Jango. 

Isso ficou bem claro com a adoção do II Plano Nacional de Desenvolvimento, bem como por meio de uma série iniciativas políticas de forte teor nacionalista e desenvolvimentista que o governo Geisel adotou, tais como:

A) Geisel denunciou o acordo militar com EUA (herança da Guerra Fria);

B) Geisel fez o Brasil se tornar o primeiro país a reconhecer o governo marxista de Angola (MPLA), abrindo espaço para o Brasil na África;

C) Iniciou o programa nuclear, visando dominar tal tecnologia;

D) Completou o Ciclo de Industrialização, com forte presença do Estado Nacional, que foi iniciado por Vargas nos anos 30/40, investindo maciçamente em setores industriais estratégicos: energia, petroquímica, papel e celulose, siderurgia. 
Quatro Presidentes do Brasil que adotaram políticas desenvolvimentistas, nas áreas econômica e social: Vargas, JK, Jango e Lula. Os quatro sofreram tentativas de Golpes de Estado por parte das forças conservadoras e dos EUA. Deve ter sido mera coincidência...
Porque a Grande Mídia e a CIA tentam, agora, desmoralizá-lo e não fazem isso com a figura muito mais negativa de um ditador como o Castello Branco? Porque este último foi o responsável por implementa4r uma política Neoliberal e Entreguista, que foi comandada pela dupla Bulhões-Campos, bem ao gosto dos interesses dos EUA.

Castello Branco adotou uma política recessiva, desnacionalizante, privatista, promoveu um brutal arrocho salarial (e para isso ele reprimiu fortemente o movimento sindical, afastando mais de 10 mil dirigentes sindicais dos seu cargos, para os quais haviam sido eleitos), fechou os partidos políticos, adotou os AIs (Atos Institucionais) para promover um processo de perseguição e destruição da oposição. 

Assim, por exemplo, os estudantes foram proibidos de atuar politicamente (proibiçãlo imposta pela Lei Suplicy de Lacerda) e os massacres de trabalhadores rurais e camponeses, por parte dos latifundiários, tornaram-se rotineiros. Vide o que aconteceu com as Ligas Camponesas e com os Sindicatos de Trabalhadores Rurais em seu governo. 


'Folha de S.Paulo' noticiando a imposição do AI-2, pelo governo ditatorial de Castello Branco. Com o AI-2, a Ditadura Militar passou a ter o poder de suspender os direitos políticos de qualquer pessoa por 10 anos e os partidos políticos existentes foram extintos, sendo substituídos pela ARENA e MDB. As instituições Legislativas também podiam ser fechadas a qualquer momento. 

A política externa de Castello Branco foi tão submissa aos interesses dos EUA que até estes se sentiram incomodados com tal subserviência. Foi no governo de Castello Branco que o embaixador brasileiro nos EUA, Juraci Magalhães, disse uma frase histórica: 'O qué é bom para os EUA é bom para o Brasil'. Depois disso, Juraci foi nomeado para ser o Ministro das Relações Exteriores pelo mesmo Castello Branco. 


Aliás, o governo de Castello Branco foi tão subserviente e puxou tanto o saco dos EUA que o saco dos ianques começou a ficar muito dolorido. Até o governo dos EUA reclamou dos exageros de Castello Branco em sua submissão, pois os EUA queriam passar para o mundo a ideia de que eles não eram tão influentes, assim, no Brasil. 

Afinal, quando ocorreu o Golpe de Estado que derrubou Jango, os EUA foram o primeiro país a reconhecer o governo golpista recentemente instalado, praticamente ao mesmo tempo em que o Golpe ainda estava em desenvolvimento. 
Donald Rumsfeld, Dick Cheney e Paul Wolfowitz (os três primeiros na parte de cima da foto) estão entre os principais nomes dos Neocons, que pretendem impor uma Ditadura Global dos EUA durante todo o século XXI. Suas políticas foram adotadas pelo governo de Bush Jr. e tiveram continuidade nos governos de Obama e Trump.

Castello Branco chegou a enviar soldados brasileiros para invadir a República Dominicana, em 1965, na qual o povo havia eleito um presidente Socialista (Juan Bosch). Aliás, também faltou pouco para Castello Branco enviar soldados brasileiros para lutar no Vietnã. 


De fato, a última coisa que os EUA toleram, no mundo todo, são governos nacionalistas e desenvolvimentistas, que fazem com que suas nações se tornem soberanas e independentes economicamente e que atuam de forma altiva no cenário mundial, defendendo seus interesses nacionais. 

Isso explica porque os EUA se aliam com os governos obscurantistas pelo mundo afora, como os da Arábia Saudita (que é a maior financiadora do extremismo islâmico no mundo, levando o Terrorismo e a Guerra para inúmeros países, fato este que é de total conhecimento dos EUA), para destruir os governos nacionalistas e laicos do Iraque, Líbia e Síria.

Estes três países adotavam as políticas nasseristas de unificação dos povos árabes em torno de um projeto de desenvolvimento econômico soberano e também queriam fazer seu comércio externo sem usar o Dólar, o que deixa os EUA em pânico, pois é o fato do Dólar ser a moeda mais usada no mundo inteiro que sustenta o seu Império e a sua imensa Riqueza. 
Eles quiseram abandonar o Dólar. E todos foram ou são atacados pelos EUA. Deve ser coincidência. 

Então, não foi coincidência que os EUA tenham promovido Guerras brutais contra os três países árabes mais nacionalistas, devastando todos eles. 


Os EUA assassinaram Saddam e Khadafi, dois nacionalistas seguidores de Nasser, e somente não fizeram o mesmo com Assad (outro nasserista) porque Rússia e Irã, em especial, não permitiram. 

Assim, os ataques contra Geisel não são feitos à toa, pois ele comandou o mais nacionalista de todos os regimes militares.

Não se iludam: Os ataques da Grande Mídia e da CIA contra Geisel não foram feitos porque eles se preocupam com os Direitos Humanos, mas pelo fato dele ter liderado um governo com forte tom nacionalista e desenvolvimentista.

E atualmente esses tipos de governo são os maiores inimigos do Império Ianque, que leva adiante, desde os atentados de 11/09/2001, um Projeto de dominação global denominado PNAC (Projeto para um Novo Século Americano, que já comentei em vários textos publicados em meu blog). 

O PNAC prevê a derrubada de todos os governos, do mundo inteiro, que não se submetam aos interesses estratégicos dos EUA, principalmente daqueles governos que adotam políticas nacionalistas e reformistas, tal como os de Lula-Dilma, Chávez-Maduro, Evo Morales, Assad, Khadafi, Saddam, entre outros. 
Nasser foi o criador do Pan-Arabismo, do qual Saddam, Khadafi e Assad eram seguidores. O único que permanece vivo e governando é Assad, devido ao forte apoio que recebeu da Rússia e do Irã na guerra que sofreu por parte dos extremistas islâmicos. 

O objetivo é fazer com que o Mundo inteiro seja totalmente dominado pelos EUA, criando-se uma Ditadura Global Ianque que garanta a hegemonia total dos EUA até o final do século XXI. 


Tal projeto é comandado pelos Neocons, que nunca esconderam do público quais são os seus objetivos. Entre os seus principais nomes, temos Donald Rumsfeld, Paul Wolfowitz e Dick Cheney, que ocuparam cargos estratégicos no governo de Bush Jr. 

E para levar tal política adiante, os EUA adotaram estratégias variadas: 

1) Processos de Desestabilização, usando da Mídia e das Redes Sociais, que espalharam Fake News a respeito dos governos reformistas e nacionalistas destes países (acusando-os de corrupção, por exemplo), que o jornalista Pepe Escobar chamou de 'Guerra Híbrida';

2) Golpes de Estado, militares ou pela via institucional, tal como ocorreu em Honduras, Paraguai e Brasil;

3) Invasões diretas por militares e mercenários pagos pelo Império Ianque. Exemplo: No Iraque tivemos 180 mil soldados das Forças Armadas dos EUA e mais 160 mil mercenários lutando  para derrubar Saddam e para lutar contra as forças da Resistência iraquiana;
'A Segunda Guerra Fria': Livro de Luiz Alberto Moniz Bandeira, um dos poucos especialistas brasileiros em questões internacionais e que faleceu recentemente. 

4) Guerras por Procuração (terceirizadas), como essa que foi levada adiante na Síria, que foi invadida por mais de 100 mil extremistas islâmicos, originários do mundo inteiro (países muçulmanos, Europa, Austrália, etc), que foram financiados e armados pelos EUA-OTAN, Israel, Arábia Saudita-CCG (Conselho de Cooperação do Golfo) e Turquia.  


Desta maneira, os EUA promovem o Caos e a Desordem pelo mundo inteiro, gerando a destruição de inúmeras nações, que ou são totalmente devastadas e se desintegram (caso da Líbia), ou que sofrem  um tal processo de desmonte das suas principais Instituições que a existência de um governo forte e que una o país em torno de um projeto nacional de desenvolvimento torna-se praticamente inviável (Ucrânia; Brasil atual).

Exemplo deste último caso é o Brasil, que está bastante fragmentado politicamente, sem possuir nenhuma força política e social organizada que esteja em condições, neste momento, de comandar um processo de reconstrução nacional. 

A existência de tantos candidatos para o pleito presidencial deste ano, no Brasil, é uma constatação do fato, embora Lula lidere as pesquisas com folga, motivo pelo qual ele foi preso. Aliás, eu disse, aqui no blog, em Fevereiro de 2017, que a prisão de Lula poderia vir a acontecer. Infelizmente acertei.

Muito dificilmente o Brasil irá se recuperar no curto ou médio prazo da crise atual, pois a fragmentação política e social que atinge o país neste momento, bem como o virtual desmonte do Estado Nacional (que sempre foi o responsável pelo desenvolvimento econômico e social do país), irão demorar muito tempo para serem revertidos. 

Se é que isso irá acontecer.
A Grande Mídia brasileira comemorou a vitória do Golpe de 64, que resultou na instalação de uma Ditadura Militar de 21 anos. Entidades empresariais apoiaram o Golpe e ajudaram a financiar a criação do aparato de repressão que matou milhares de pessoas. 

Porque a Ditadura não foi apenas Militar!


É bom esclarecer que ninguém aqui está querendo justificar ou muito menos defender as horripilantes torturas e assassinatos de oposicionistas e de cidadãos comuns que aconteceram durante os 21 anos de Ditadura Militar (1964-1985). 

Já escrevi e publiquei inúmeros textos, aqui no blog, sobre o assunto e neles eu denunciei e condenei tais violências, que foram de uma brutalidade e desumanidade indescritíveis e inacreditáveis. 

Mas estou chamando, nesse texto, a atenção para o fato de que está se atacando apenas ao Ernesto Geisel por tais crimes, como se ele, sozinho, comandasse todo o aparato de repressão da Ditadura Militar, o que é uma arrematada asneira. 

O governo mais violento e repressivo da Ditadura Militar foi o de Médici (1969-1974), cujo nome sequer é citado nessas recentes informações divulgadas pela Grande Mídia e que foram baseadas em informes da CIA. 

E na verdade tais violências ocorreram durante toda a Ditadura Militar e começaram já no mandato de Castello Branco (1964-1967), perdurando até o governo de Figueiredo.
O jornal 'O Globo' comemora a vitória do Golpe de 64 e a 'eleição' indireta, pelo Congresso Nacional, e posse de Castello Branco como o novo Presidente do país.

Além disso, toda a Burguesia brasileira (latifundiários, banqueiros, industriais), bem como a Classe Média e a Igreja Católica, apoiou o Golpe e a instalação desse aparato repressivo. A Grande Mídia que, agora, divulga tais informações, também apoiou ostensivamente o Golpe de Estado e a Ditadura Militar. 


O jornal 'O Globo' saudou a derrubada de Jango como sendo o 'ressurgimento da Democracia' e a própria 'Rede Globo' foi criada e cresceu muito devido à imensa ajuda da Ditadura Militar. A 'Folha de S.Paulo', por sua vez, chegou a escrever editoriais elogiando a Ditadura de Médici e, há poucos anos, disse que a Ditadura Militar foi apenas uma 'Ditabranda'. Não foi. Mas a 'Folha' disse isso porque culpa no cartório, pois apoiou o Golpe e a Ditadura Militar. Ela chegou a demitir um diretor de Redação (Cláudio Abramo) porque o mesmo era declaradamente socialista e isso não era bem visto pela Ditadura.

Portanto, é um verdadeiro festival de hipocrisia da Grande Mídia falar, neste momento, sobre as torturas e os crimes da Ditadura Militar como se ela não tivesse nada a ver com isso. Tem. E muito. A Grande Mídia também é responsável por tais crimes. 

Também é bom lembrar da participação da maior parte dos membros do Congresso Nacional no Golpe, principalmente dos políticos da UDN e do PSD, os dois maiores partidos conservadores da época. O então presidente do Senado afastou Jango do cargo, declarando vaga a Presidência da República, sob a falsa alegação de que o então Presidente da República estaria fora do país, o que era mentira. 


Padre Patrick Peyton, financiado pela CIA, veio ao Brasil promover manifestações a partir do final de 1963, o que acabou resultando na realização das 'Marchas da Família'. Sua pregação anti-comunista o tornou uma figura muito popular entre milhões de brasileiros. 

A Igreja Católica também apoiou o Golpe, tendo uma participação fundamental na realização de uma maciça campanha de propaganda anti-comunista durante os anos anteriores ao Golpe, bem como na organização das chamas 'Marchas da Família', que apoiaram o movimento golpista e que mobilizaram, especialmente, a classe média, na qual a influência da Igreja Católica era significativa. Nestes protestos e 'Marchas' tivemos a participação do Padre Peyton, que era financiado pela CIA. 


A classe média, especialmente em 1964, saudou a vitória do Golpe e tivemos inúmeras manifestações populares, reunindo centenas de milhares de pessoas, pelo país inteiro, nos meses seguintes ao Golpe. A manifestação do dia 02 de Abril de 1964, no Rio de Janeiro, virou uma festa da classe média pela vitória do movimento golpista. Depois do início do 'Milagre Brasileiro', em 1968, a classe média reforçou este apoio à Ditadura Militar. 

Portanto, temos que deixar claro que os militares somente ficaram no poder por tanto tempo devido ao fato de que tiveram um substancial apoio de setores expressivos e poderosos da sociedade brasileira. 

Logo, se as mãos dos Ditadores estão sujas de sangue pelas torturas e crimes cometidos pela Ditadura Militar, o mesmo pode ser dito dos setores sociais que apoiaram o Golpe e sustentaram a Ditadura Militar. 
Livro de Stephen Kinzer, que mostra como os EUA derrubaram o governo nacionalista e reformista de Mossadegh, que havia nacionalizado a indústria do petróleo e criado leis trabalhistas, em 1953. O método usado naquele momento foi, depois, aplicado com sucesso por toda a América Latina nos anos 1950/60/70.

Links:


Juraci Magalhães e sua frase imortal:

http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/biografias/juraci_magalhaes

Castello Branco e o envio de soldados brasileiros para invadir a República Dominicana:

http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2015/05/brasil-foi-subimperialista-ao-participar-da-invasao-da-republica-dominicana-1976.html

O AI-2 imposto por Castello Branco:

http://justificando.cartacapital.com.br/2015/11/17/historicizar-e-preciso-50-anos-do-ai-2-e-o-mito-da-boa-ditadura/

Cães de Guarda - A Grande imprensa e a Ditadura Militar;

https://www.pstu.org.br/caes-de-guarda-imprensa-burguesa-e-ditadura-militar/

A atuação do Padre Peyton na promoção do Golpe de 64:

https://jornalggn.com.br/noticia/a-relacao-de-patrick-peyton-com-a-ditadura-militar

Porque defender 'Lula ou Nada' é uma ideia totalmente equivocada? - Marcos Doniseti!

Porque defender 'Lula ou Nada' é uma ideia totalmente equivocada? - Marcos Doniseti!
Lula já deixou claro que é o candidato à Presidente da República pelo PT e que irá manter a sua candidatura até o final. Caso ela venha a ser impugnada, ele deverá indicar outro nome do partido para disputar a eleição presidencial com o seu apoio, o que poderá fazer com que tal candidato (a) venha a ser o vitorioso. 

1) Votar nula ou não votar caso a candidatura de Lula seja impugnada significará abrir mão de continuar lutando e representará a entrega do poder ao Golpistas por décadas. 


Isso seria puro suicídio político por parte das forças progressistas; 

2) Se Lula não puder ser candidato, ele indicará outro nome, do próprio PT, para ser o candidato em seu lugar. 

E este candidato (a) terá o meu voto, sim;

3) Se o (a) candidato (a) indicado (a) por Lula vencer a eleição presidencial o (a) mesmo (a) irá decretar o indulto para Lula, libertando-o dessa prisão absurda. 

E as chances disso acontecer são grandes, pois Lula consegue transferir muitos votos para quem ele apoiar, o que ficou comprovado com a vitória de Dilma em 2010. 

As pesquisas mais recentes (Datafolha, Vox Populi) também comprovam essa capacidade de transferência de votos do Presidente Lula para quem ele apoiar;

4) O PT tem vários nomes, de grande qualidade política, que poderiam vir a receber o apoio de Lula para substituí-lo caso a sua candidatura venha a ser impugnada e ele não possa vir a disputar a eleição presidencial: Haddad, Gleisi, Lindbergh, Celso Amorim, Paulo Paim, Fernando Pimentel e Rui Costa são alguns deles;

5) Anular o voto, caso Lula não possa vir a ser o candidato do PT, é abrir mão da luta e condenar Lula à morte na prisão, da qual ele jamais sairá, pois os votos nulos dos eleitores progressistas farão com que a Direita vença a eleição;

6) Independente disso, temos que continuar priorizando a luta pela libertação de Lula, que é o candidato presidencial do PT, e lutar por sua vitória na eleição;

7) Temos que continuar junto com Lula, caso contrário ele morrerá na prisão;

8) Não abandonarei Lula e nem a luta. 

Simples assim.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Eleição Presidencial: Ciro será o candidato da Direita Neoliberal e Golpista e dará continuidade ao governo Temer! - Marcos Doniseti!

Eleição Presidencial: Ciro será o candidato da Direita Neoliberal e Golpista e dará continuidade ao governo Temer! - Marcos Doniseti!
Ciro e jovens integrantes do MBL. A julgar pelas propostas econômicas de Ciro, suas ideias estão muito semelhantes às do MBL, que defende os interesses do Grande Capital Financeiro acima de tudo.

Ciro Gomes quer recriar a CPMF, privatizar a Previdência Social e promover Privatizações em massa! Para investir na área social? Nada disso: É para encher os cofres dos Banqueiros!


Vocês leram a entrevista do Mauro Benevides Filho, assessor econômico do Ciro, para o 'Estadão', que foi publicada no Domingo passado (06/05/2018)? 

Ele defendeu que seja adotada uma política de 'rigor fiscal', que promova cortes drásticos nos gastos públicos, bem como um aumento de impostos, via recriação da CPMF, cujos recursos seriam arrecadados sobre contas que movimentem mais de R$ 3 mil ou R$ 4 mil mensais. 

Tais recursos seriam usados, por sua vez, para poder pagar a Dívida Pública.

Logo, essa é uma proposta que agrada em cheio ao Sistema Financeiro e ao Grande Capital, que é quem financia o endividamento público brasileiro. Portanto, Ciro quer encher ainda mais os cofres dos 'pobrezinhos' dos banqueiros, que já lucram imensamente no Brasil. 

Benevides Filho também disse que o Governo Federal possui 144 estatais e que o 'grosso disso poderá ser privatizado'. Ele também defendeu que a Previdência Social passe a funcionar, para quem for ganhar mais de 3 salários mínimos, com base no sistema de capitalização individual, o que levará à privatização da mesma. 

Privatizações em massa, CPMF para pagar a Dívida Pública, Privatização da Previdência Social... Isso é música para os ouvidos do Grande Capital Financeiro Globalizado e Nacional, que será o maior beneficiado por tais medidas. 
Ciro Gomes junto com outros candidatos que defendem o Neoliberalismo. Suas propostas econômicas atendem em cheio aos interesses do Grande Capital Financeiro. Uma delas é recriar a CPMF, mas não para investir na área social, mas para pagar a Dívida Pública, o que irá aumentar ainda mais os lucros do Sistema Financeiro. 

Ciro Gomes quer promover a privatização da Previdência Social para a classe média!


Benevides também falou que é necessário promover uma 'Reforma' da Previdência que leve à implantação do sistema de capitalização individual, no qual apenas os trabalhadores contribuem para fundos de previdência privada, que são geridos por empresas do setor financeiro. 

Neste sistema, nem o governo e tampouco os empresários fazem qualquer contribuição para o sistema previdenciário, o que reduz substancialmente o valor arrecadado, o que implica no pagamento de benefícios de baixo valor aos contribuintes.

Benevides diz que o sistema de capitalização individual irá valer apenas para quem ganhar mais de 3 salários mínimos (o que engloba os 20% mais 'ricos' da população), mas isso atingirá em cheio a classe média e os trabalhadores assalariados melhor remunerados, que serão imensamente prejudicado com a proposta, caso Ciro vença a eleição presidencial e venha a adotar o sistema. 

Tal sistema também implica na privatização da Previdência Social, que passará a ser administrada por empresas de previdência privada controladas pelo sistema financeiro (Bancos, em especial).

É bom esclarecer que tal sistema é semelhante ao que Pinochet implantou no Chihe, que foi o primeiro país no qual ele foi adotado, sendo que o mesmo vive uma profunda crise atualmente, devido aos valores miseráveis dos benefícios que são pagos aos contribuintes, o que faz com que exista uma profunda insatisfação popular com esse sistema. 

Atualmente, tal sistema vive uma profunda crise no Chile, devido aos valores miseráveis dos benefícios que são pagos aos contribuintes, o que faz com que exista uma profunda insatisfação popular com esse sistema de capitalização individual que Ciro Gomes deseja implantar no Brasil. 

Portanto, tudo aponta para o fato de que o sistema de capitalização individual irá fracassar no Brasil também. 
Durante a brutal e criminosa Ditadura de Augusto Pinochet, o Chile foi o primeiro país do mundo a criar um sistema de Previdência Social baseado na capitalização individual. Tal sistema paga benefícios miseráveis aos contribuintes e já está sendo bastante criticado no Chile. Ciro Gomes quer implantar o mesmo no Brasil. 

Ciro Gomes: Ajuste Fiscal será feito com aumento de impostos e corte de gastos públicos (o que resultará em Recessão)!

Benevides também disse que é necessário recriar a CPMF, mas não para investir na área social, mas para pagar a dívida pública, o que irá enriquecer o já trilhonário sistema financeiro. 

Benevides também afirmou que discorda do economista Marcio Pochmann, ligado ao PT, que disse que o ajuste fiscal (equilíbrio das contas públicas) se faz por meio de crescimento. Para Benevides, o corte de gastos vem antes. Essa é exatamente a visão dos economistas neoliberais e que nunca funcionou, pois o corte dos investimentos públicos joga a economia na Recessão, o que reduz a arrecadação dos impostos. 

Assim, tal política de corte de gastos acaba elevando o déficit público e a dívida pública. E com isso, se fazem necessários novos cortes nos investimentos públicos, o que irá aprofundar ainda mais a Recessão, criando-se um círculo vicioso que torna o país cada vez mais pobre. 

Essa é, inclusive, a mesma política que Henrique Meirelles adotou no governo Temer. Ele congelou os investimentos sociais (em saúde, educação, moradia, saneamento básico, segurança, transporte coletivo) por 20 anos e, mesmo assim, a Dívida Pública disparou no governo Temer, passando de 39% para 52% do PIB em menos de dois anos (entre Maio de 2016 e Março de 2018).

O Neoliberalismo aproxima Ciro, Alckmin e Bolsonaro: Os três candidatos que são favoráveis às privatizações, embora elas sejam rejeitadas por 70% dos brasileiros. 

Enquanto isso, nos governos Lula-Dilma a Dívida Pública Líquida despencou de 60% do PIB para 39% do PIB (era de 35% no final de 2015) justamente porque a economia brasileira cresceu muito entre 2003-2014. 

Os dois governos, de Lula e Dilma, tomaram uma série de medidas para estimular o crescimento econômico (aumento de investimentos públicos, criação de programas sociais, estímulo para exportações, aumento real do salário mínimo, redução de juros e de impostos, aumento da oferta de crédito), o que gerou 21 milhões de empregos com carteira assinada. 

Neste período (2003-2015), o PIB brasileiro se tornou o sexto maior do Mundo (cresceu de US$ 500 Bilhões, em 2002, para US$ 2,4 Trilhões), os investimentos produtivos aumentaram muito (do exterior vieram US$ 551 bilhões entre 2003-2015) enquanto que a Dívida Pública Líquida diminuiu substancialmente, como vimos aqui.

Direita Neoliberal e Golpista deverá apoiar Ciro, para impedir vitória das Forças Progressistas!

Tudo aponta para o fato de que a Direita Neoliberal e Troglodita irá cair inteira no colo do Ciro e que ele está adorando isso. 

Afinal, o seu programa econômico irá agradar em cheio ao sistema financeiro, o que irá atrair o apoio do Grande Capital Financeiro para a sua candidatura. E se o Capital Financeiro o apoiar, Ciro também terá o apoio da Grande Mídia (que é controlado pelo Capital Financeiro) e do Tio Sam, de Wall Street em especial.
Governo ilegítimo de Temer reduziu fortemente os investimentos produtivos do setor público, o que fez o Brasil sofrer com uma forte Recessão e com o aumento do desemprego. Ciro se propõe a fazer o mesmo. Um exemplo foi o desmonte do setor de Construção Naval brasileiro, que chegou a ser o quarto maior do Mundo durante os governos Lula e Dilma. 

Os duros ataques que Ciro está fazendo ao PT e a Lula nos últimos meses também servem claramente para demonstrar que ele irá governar sem ter qualquer tipo de apoio dos petistas. Ele procurou se distanciar ao máximo de Lula e do PT, chegando até a dizer que o processo de Moro contra Lula é legítimo e que o ex-Presidente não é um prisioneiro político. Ciro também se recusou a ir até São Bernardo do Campo quando Lula teve a sua prisão decretada e não assinou manifesto em defesa da candidatura de Lula. 


As sinalizações de Ciro nos últimos meses deixaram claro que ele não quer mais nada com o PT. Ele quer apenas os votos dos eleitores petistas. Nada além disso. 

Assim, se alguns setores das forças progressistas (de segmentos minoritários do próprio PT e do PCdoB) pensam que irão voltar ao poder fazendo uma aliança com Ciro Gomes, então eles podem tirar o cavalo da chuva. Ciro quer se eleger tendo o apoio da Direita Neoliberal e Golpista, pois entende que ela é que controla as chaves do poder no país desde o Golpe que derrubou Dilma e prendeu Lula. 

Ciro Gomes: O Macron brasileiro?

Entendo que, nesta campanha presidencial, Ciro Gomes quer ser apresentar como sendo o Macron brasileiro. 

Emmanuel Macron se elegeu Presidente da França em 2017 fazendo uma campanha na qual utilizou de um discurso centrista e moderado e acabou sendo eleito, no segundo turno, para evitar uma vitória da extremista de Direita Marine Le Pen. 

Mas agora que está no comando do país o presidente Macron adotou políticas neoliberais (redução de direitos trabalhistas, o que beneficiou apenas ao Grande Capital) que deixaram os franceses enfurecidos, o que levou à realização de inúmeras greves e protestos pelo país. 
Emmanuel Macron fez uma campanha usando um discurso centrista e moderado, mas governa de forma autoritária e impôs reformas neoliberais impopulares. Por isso, o seu primeiro ano de governo foi avaliado como Negativo por 55% dos franceses. O jornal 'Libération' diz que ele é 'Presidente dos Sonhos da Direita'. Será que Ciro Gomes poderá vir a desempenhar o mesmo papel no Brasil? 

Ciro Gomes criticou nesta semana os conflitos existentes no Brasil entre  a Direita (coxinhas) e a Esquerda (mortadelas) governo Neoliberal, mostrando que pretende se apresentar como sendo o candidato do diálogo e da conciliação, ou seja, indicando que adotará uma postura centrista, exatamente como o Macron fez na França. 


Mas, depois, caso vença a eleição, essa moderação centrista ficará no passado e ele irá governar para atender aos interesses do Grande Capital Financeiro Globalizado, como já deixou claro que irá fazer quando Mauro Benevides explicitou as propostas econômicas de Ciro. 

Ciro será o maior adversário das Forças Progressistas nesta eleição!

As propostas econômicas de Ciro Gomes mostram, de forma clara, que ele passou para o outro lado do espectro político, sendo que se tornou claramente um aliado do Grande Capital Financeiro, que será o maior beneficiado caso ele seja eleito e coloque em prática estas ideias que foram defendidas por Mauro Benevides Filho em entrevista ao 'Estadão'.

A Direita Neoliberal e Golpista não poderia querer algo melhor: Um candidato que teve um passado supostamente progressista (apoiou e participou dos governos Lula e Dilma), que é candidato pelo PDT (partido que se diz Trabalhista, embora tenha apoiado o Golpe de 2016) e que se propõe a adotar políticas que a beneficiam imensamente, mas que irá procurar esconder isso na campanha, usando de um discurso falsamente 'desenvolvimentista'. 

Isso demonstra, de fato, que Ciro é o adversário mais forte que as Forças Progressistas irá enfrentar nessa eleição. 
Durante os governos Lula e Dilma o Brasil criou o maior número de empregos com carteira assinada da sua história, mas depois do Golpe isso acabou. Agora a imensa maioria dos empregos criados são informais e pagam no máximo 2 salários mínimos mensais. 

Esqueçam de Alckmin, Bolsonaro, Marina ou de qualquer outro. Ciro será o candidato no qual a Direita Neoliberal e Golpista irá apostar as suas fichas para poder continuar governando o país por mais quatro anos, mas dessa vez isso será legitimado pelas urnas.  


E é isso que a Direita Neoliberal e Golpista: Vencer uma eleição presidencial, para que possa dizer ao país e ao mundo que o seu projeto foi vencedor nas urnas e que ela governa de forma legítima, o que não acontece atualmente. 

Alckmin (com 12%) não deslancha nem mesmo no estado de São Paulo, onde fica atrás de Lula (22%) e de Bolsonaro (14%), segundo dados de pesquisa Ibope divulgada recentemente. Bolsonaro e Alckmin tem um teto, que é muito baixo, sendo que nenhum dos dois consegue sequer passar de 1/3 dos votos mesmo no segundo turno, segundo recente pesquisa Datafolha. 

Isso mostra a fraqueza das duas candidaturas. Marina Silva, sempre errática e contraditória em suas posições, não demonstra ter condições de alçar vôos maiores, tal como conseguiu fazer em 2014. Ela parece estar bem mais fraca do que há quatro anos. Ela será cobiçada por outros candidatos mais fortes e não é de se duvidar que acaba fazendo parte da ampla aliança que deverá se formar em torno de Ciro. 


As articulações políticas envolvendo essa ampla aliança já estavam em andamento antes da filiação de Joaquim Barbosa ao PSB, segundo afirmou o governador do Distrito Federal (Rodrigo Rollemberg), que é um dos principais líderes do PSB. 
Pesquisa Datafolha de Abril deste ano mostrou Lula liderando nos três cenários em que foi incluído. Mas será que a Justiça Eleitoral irá permitir a sua candidatura?

Tais conversas envolviam a Rede (de Marina Silva), o Solidariedade (de Paulinho da Força), Podemos (de Álvaro Dias), PDT (de Ciro), legendas menores como o PV e o PHS, e, até mesmo, o PCdoB no sentido de fecharem uma aliança em torno da candidatura de Ciro Gomes. 


Isso ajuda a explicar porque o governador do Maranhão, Flávio Dino (que faz uma excelente administração no estado) e a candidata do PCdoB demonstraram simpatia pela ideia da união em torno da candidatura de Ciro Gomes. Dino recuou depois, mas tudo aponta para o fato de que ele falou, sim, em se unir à candidatura de Ciro. É que essas declarações, muitas vezes, tem péssimas repercussões e, daí, o político é obrigado a recuar. E foi isso que aconteceu com Flávio Dino. 

Não sei quem será o Vice de Ciro Gomes, pois as forças entre estas legendas precisam avançar muito ainda, mas eu não duvido que possa vir a ser o Álvaro Dias (do Podemos), que poderá atrair para o candidato do PDT (um cearense e nordestino) os votos dos eleitores da região Sul do país. 

Com relação aos candidatos do MDB e de outros partidos que apoiam as políticas neoliberais de Temer (PSDB, DEM, PP, PR, PTB, PSC, entre outros), a tendência é que colham um gigantesco fracasso nesta eleição caso lancem alguma candidatura à Presidência. 
Ciro Gomes pode despontar como a principal aposta da Direita Neoliberal e Golpista nesta eleição presidencial. O plano econômico neoliberal do candidato ajuda muito a conquistar tal apoio e prevê até uma privatização parcial, mas ampla, da Previdência Social. 

Alckmin, Meirelles, Maia, Temer, Amoedo, Flávio Rocha, somados, não chegam sequer a 10% nas pesquisas. O futuro deles é tétrico. Suas chances de vitória são virtualmente nulas. Nenhum deles mostra fôlego para ir mais longe na disputa. 


E como os líderes destas legendas a que eles pertencem querem sobreviver politicamente, tudo aponta para o fato de que eles irão acabar apoiando candidatos com maiores chances de ir ao segundo turno, mesmo que seus partidos lancem candidatos à Presidência. 

Assim, vários desses candidatos podem vir a ser 'cristianizados', ou seja, irão apoiar candidatos de outra legenda (Ciro, no caso) ou então irão desistir da eleição, tal como já aconteceu com Joaquim Barbosa. 

Obs1: Aviso - O termo 'cristianização' não tem nada a ver com Jesus Cristo, ok? Ele se refere à Cristiano Machado, que foi candidato à Presidente pelo PSD em 1950. Mas a imensa maioria dos líderes do partido apoiou a candidatura de Getúlio Vargas, que era do PTB e acabo eleito com 48% dos votos. Assim, sempre que o candidato de um partido é traído pelos membros da sua própria legenda fala-se que o mesmo foi 'cristianizado'. 

Neste aspecto, não duvido que Ciro Gomes será o maior beneficiado com tudo isso. 

O seu plano econômico foi feito sob medida para atrair os interesses do Capital Financeiro e, logo, da Grande Mídia, que é controlada pelo mesmo. Seus ataques a Lula e ao PT, nos últimos meses, o credenciam como alguém que não é mais um aliado das forças progressistas. 
Financiamentos do BNDES cresceram de forma expressiva durante os governos Lula e Dilma, contribuindo para gerar milhões de novos empregos e para o crescimento econômico. 

E caso o PCdoB embarque na ampla aliança que deverá dar sustentação à candidatura de Ciro, as Forças Progressistas ficarão restritas a dois candidatos, que serão Lula ou o candidato do PT, bem como o Guilherme Boulos, do PSOL.  


Tudo indica que Ciro passou para o lado da Direita Neoliberal e Golpista, que deverá apostar quase todas as suas fichas em seu nome, na esperança de que ele possa derrotar Lula ou o candidato petista que este vier a apoiar caso o ex-Presidente não possa ser candidato à Presidência da República.

Aliás, somente mesmo com uma gigantesca aliança envolvendo a Direita Neoliberal e Golpista, que englobe a imensa maioria dos partidos que apoiaram o Golpe, o Capital Financeiro Global e a Grande Mídia, tendo à frente um candidato com uma imagem centrista e moderada, mas que se utilize de um discurso de campanha que seja a favor do desenvolvimento do país, é que poderão ser criadas as condições que possam vir a derrotar Lula ou o candidato que este vier a apoiar, e que deverá ser do PT, caso o ex-Presidente não possa ser candidato. 

E tudo indica que Ciro Gomes está querendo ser o candidato dessa gigantesca aliança que visa dar continuidade ao Golpe que foi vitorioso em 2016. 
Leonardo Boff com camiseta 'Lula 2018'. Será que Ciro Gomes terá condições de derrotar Lula ou o candidato apoiado por este, que já começa a campanha com cerca de 30% de intenções de voto, segundo o Datafolha? 

Links:


Ciro Gomes: Mauro Benevides Filho será Ministro da Fazenda se ele for eleito:

http://cearanews7.com/mauro-filho-assumira-ministerio-da-fazenda-caso-ciro-seja-eleito-ao-planalto-em-2018/

DEM, PP e PR cogitam apoiar Ciro Gomes:

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/05/dem-pp-e-pr-cogitam-acordo-com-ciro-gomes-para-evitar-implosao-do-centro.shtml

Assessor econômico de Ciro, Mauro Benevides Filho defende rigor fiscal, recriação da CPMF para pagar a Dívida Pública e Reforma da Previdência semelhante à de Pinochet (capitalização individual):

http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7408030/sem-ajuste-brasil-vai-bancarrota-diz-coordenador-programa-economico-ciro

Pinochet: Reforma da Previdência usando sistema de capitalização individual prejudicou a população, que recebe benefícios miseráveis, mas beneficiou o Grande Capital Financeiro:

http://www.bbc.com/portuguese/internacional-39931826
Ciro Gomes e Mauro Benevides Filho: Ciro já disse que se for eleito Presidente, Mauro Benevides será o seu ministro da Fazenda. Então, é bom prestar atenção no que ele diz. 

Após desistência de Joaquim Barbosa, grande parte do PSB deverá apoiar Ciro Gomes; Rollemberg diz que inúmeras legendas conservadoras poderão apoiar Ciro:


https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2018/05/09/interna_politica,679334/rollemberg-defende-apoio-do-psb-a-ciro-gomes.shtml

PDT e PSB estão mais próximos nos estados e Ciro tem grandes chances de ter apoio deste último:

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/05/apoio-nos-estados-tende-a-unir-psb-ao-pedetista-ciro-gomes.shtml

Ciro critica conflitos entre coxinhas (Direita) e mortadelas (Esquerda):

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/05/apoio-nos-estados-tende-a-unir-psb-ao-pedetista-ciro-gomes.shtml

Para Ciro, Lula não é preso político:

https://www.opovo.com.br/jornal/politica/2018/04/prisao-e-injusta-mas-lula-nao-e-preso-politico-diz-ciro.html

Pesquisa Datafolha de Abril de 2018:

http://datafolha.folha.uol.com.br/eleicoes/2018/04/1965039-preso-lula-mantem-lideranca-em-disputa-pela-presidencia.shtml

Manuela defende acordo com Ciro Gomes:

https://www.brasil247.com/pt/247/poder/354069/Manuela-diferenças-com-Ciro-são-pequenas-e-união-da-esquerda-é-necessária.htm

Sem Lula como candidato, Flávio Dino defende apoio a Ciro:

https://www.revistaforum.com.br/sem-lula-dino-defende-todos-com-ciro/

Macron governa de forma autoritária, reclamam os franceses:

http://br.rfi.fr/franca/20180506-reformista-e-imperial-macron-completa-um-ano-no-poder-na-franca

Macron é o presidente dos sonhos da Direita:

http://br.rfi.fr/franca/20180507-macron-e-presidente-dos-sonhos-da-direita-diz-liberation

Candidato do Lula cresce e chega a 30% das intenções de voto:

https://blogdacidadania.com.br/2018/04/candidato-de-lula-cresce-no-datafolha-prisao-afeta-pouco-ex-presidente/